Nutrição Funcional

É a área da Nutrição que investiga os fatores alimentares e ambientais relacionados a variedade de distúrbios no organismo e trata-os de forma personalizada, com base na individualidade bioquímica.

Entre os principais distúrbios nutricionais destacam-se : obesidade, ansiedade e compulsividade, aumento das taxas de gorduras no sangue, disfunções hormonais, anorexia, bulimia, ortorexia, alterações no sono e no humor, dificuldades de aprendizagem, concentração ou memorização, alterações na libido, diabetes, artrites, câncer, depressão, Alzheimer, Parkinson, entre outros.


Com a descoberta do GENOMA ( código genético individual ) que relaciona as características pessoais a determinados genes, intensificaram-se as pesquisas na área da GENÔMICA NUTRICIONAL, objetivando-se a melhor compreensão das interações entre as várias dietas, o genoma humano e sua influência na saúde e na doença. Discute-se no meio científico até mesmo a viabilidade de uma dieta ideal para cada indivíduo, ou seja, específica para cada genoma.
Existe a possibilidade de reversão de algumas doenças através do uso da Nutrição Funcional como coadjuvante de tratamentos médicos, entretanto, é na aplicação da Nutrição Funcional na forma PREVENTIVA que o ser humano obtém o maior benefício : aumento da Vitalidade e Qualidade de Vida.


ALIMENTOS FUNCIONAIS, de acordo com a Secretaria de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde, “são aqueles que além das funções nutricionais básicas, quando consumidos em dieta usual, produzem efeitos metabólicos e fisiológicos benéficos à saúde, devendo ser seguros para consumo sem supervisão médica”.


O conceito de Alimento Funcional resgata o que já se sabia há milhares de anos nas culturas ocidentais e orientais, e que pode ser sintetizado na célebre frase de Hipócrates: ‘faz de teu alimento o teu medicamento’.


A ressalva é que estas propriedades funcionais têm sido comprovadas cientificamente e que inclui um determinado nutriente do alimento (p.ex: a isoflavona presente na soja, o licopeno presente no tomate, a alicina presente no alho e assim por diante) bem como a dose de consumo do alimento ou nutriente.

Nutrição


GEAP
Sul América
Unimed