Toxina Botulínica e Preenchedores

O padrão de beleza está diretamente relacionado a valores culturais, sociais e econômicos. Os padrões atuais pregam a beleza associada a juventude. Técnicas de rejuvenescimento vêm sendo aperfeiçoadas, não apenas pelos avanços tecnológicos, mas pela necessidade e preocupação da população com a saúde e com a aparência física, bem como, em decorrência do aumento da longevidade.
Tratamentos individualizados ou em combinação podem criar uma aparência mais atraente e jovem, e a sua efetividade do correto diagnóstico, assim, como em um diálogo aberto com o paciente a respeito de suas expectativas, período pós-tratamento e duração dos efeitos esperados.
A toxina botulínica é isolada da cultura de bactérias chamadas Clostridium Botulinum, e essas produzem oito subtipos de toxina. A mais conhecida é a toxina do tipo "A", enquanto que os outros tipos estão sendo estudados.
A toxina promove o relaxamento de certos músculos da mímica, tratando ou suavizando as rugas, esse bloqueio se dá inicio em 72 horas e pode durar entre 4 e 6 meses, e como o uso periódico os resultados vão melhorando progressivamente.
O procedimento é feito ambulatorialmente, tendo o paciente alguns cuidados especiais logo após a aplicação.
Toxina Botulínica e Preenchedores
Quanto aos preenchedores, o mais indicado em nossa prática é o ácido hialurônico, material biológico, inerte e absorvível a médio prazo (1 a 2 anos). Ele tem uma apresentação injetável, associado à anestésico local, tornando mais confortável a aplicação. Como falado antes, sua função é de preencher, estruturar e firma as estruturas anatômicas, corrigindo depressões e sulcos, realçando os contornos e restaurando o volume perdido ao longo dos anos. Um bom resultado são aqueles mais naturais possível, evitando os excessos e fugindo dos estigmas.
Ainda hoje há confusão de entendimento entre a toxina e os preenchedores, que corriqueiramente nos falam que se interessam em aplicar a toxina, entretanto tem medo de ficar com lábios enormes de certas celebridades, ou falam que algum conhecido fez uso de um preenchedor que formou abscessos ou ficou endurecido, isso era muito comum antigamente onde havia um uso liberado de metacrilato, que hoje há apenas indicação para uso em paciente imunodeprimidos por HIV, pois desencadeia uma importante resposta inflamatória e não é absorvido.

Cirurgia Plástica


GEAP
Unimed
Sul América