Mastopexia

As mudanças que as mamas sofrem podem ser desagradáveis e fazer com que as mulheres se sintam menos femininas e achem que perderam a vitalidade da juventude. Assim como outras partes do corpo, as mamas sofrem alterações decorrentes da genética, envelhecimento, gravidez e amamentação, ganho ou perda de peso e mudanças hormonais. Mamas firmes e simétricas geralmente começam a cair, ficando com um aspecto pesado ou flácido. Uma mamoplastia de aumento, ou mastopexia, pode ajudar a mama a ficar firme novamente, que definirá as curvas do corpo e dará aos seios uma aparência jovial. Tem a função de erguer e firmar sem aumentar ou diminuir o tamanho das mamas.
Durante o procedimento de mastopexia, o excesso de pele é retirado, e a pele restante, esticada.
Consequentemente, a forma das mamas melhora e elas são reposicionadas. Dependendo do grau da ptose, ou queda das mamas, determina-se o procedimento mais adequado. Normalmente, existem três graus de ptose, classificados como leve, moderado e acentuado, que são determinados pela posição da aréola em relação à prega inframamária e ao esterno. Em geral, há ptose leve se a aréola estiver na prega inframamária. Se a aréola estiver aproximadamente um ou dois centímetros abaixo da prega inframamária, as mamas apresentam ptose moderada; nos casos de ptose mamária acentuada, a aréola pode estar dois ou três centímetros abaixo da prega inframamária e inclinar para baixo. Existem quatro técnicas básicas de mamoplastia de aumento, conhecidas como periareolar, vertical e em âncora (ou T invertido), usadas para corrigir graus cada vez maiores de ptose, respectivamente. Tenta-se sempre o menor corte possível, e inicia-se pelo menor corte. Caso haja maior queda e maior sobra de pele resulta em cortes maiores.
Podemos optar também por manter tamanho, e colocar uma prótese, havendo logo, necessidade de ressecar o mesmo volume colocado em prótese de silicone. Neste caso o implante faz com que as mamas fiquem mais firmes.
A duração de um procedimento de mamoplastia de aumento pode variar de uma a quatro horas, dependendo de sua complexidade e se um procedimento adicional, como a colocação de próteses, será realizado ao mesmo tempo.
Podem ser usados drenos. A paciente pode apresentar dor leve, observar inchaço e hematomas, assim como dormência ao redor da aréola, que devem desaparecer em algumas semanas. Embora já se sinta apta a retornar ao trabalho em uma semana, recomenda-se evitar atividades pesadas, como a prática de exercícios, por três ou quatro semanas após o procedimento, de modo que seu corpo tenha tempo suficiente para cicatrizar.
A paciente notará uma diferença drástica no formato e na posição das mamas logo após o procedimento. Ainda observará mudanças em sua aparência à medida que o inchaço diminuir e as mamas se adaptarem às novas posições. Na verdade, pode levar um ano até que os resultados finais sejam visíveis. Embora as cicatrizes resultantes da mamoplastia de aumento sejam permanentes, com o tempo, elas ficam pouco perceptíveis, tornando-se linhas finas e brancas. É importante observar que, se você engravidar após uma mamoplastia de aumento, os efeitos da gestação e da amamentação poderão comprometer os resultados e fazer com que suas mamas fiquem flácidas e mudem de forma novamente. Apesar de a mamoplastia de aumento não impedir o processo de envelhecimento, ela pode ajudá-la não apenas a melhorar a posição de suas mamas, como também deixá-las mais firmes por muitos anos.

Cirurgia Plástica


Unimed
GEAP
Sul América